sábado, outubro 15, 2005

Lágrimas


Não quero o passado
Não quero as amargas recordações
De uma vida que não foi minha!
Rola-me pela face uma lágrima...
E outra...
E mais outra...

Não me consigo libertar
Desse mundo que me acorrentou.
As amarras são muito fortes,
E eu sou muito fraca
Para me conseguir libertar;
Sou muito fraca para conseguir partir!

No fundo, talvez até medo
De conseguir quebrá-las
Talvez tenha até medo de...
Após ter soltado as correntes
Não conseguir voltar ao passado,
Nem que seja apenas
Para ver como sofria.

Torna-me a rolar
Uma lágrima pela face...
E outra...
E outra...
E mais outra...

Sem comentários: