quinta-feira, outubro 20, 2005

Amigo Vento



Meu querido amigo vento
Que embalas os pinheiros
Onde estás neste momento?

Vento, vento, meu amigo
Que tornas a leve brisa
Numa canção de embalar...

Vento, vento tão querido
Que afastas meus cabelos da face
E enxugas minhas lágrimas...

Vento, vento meu ventinho
Que por vezes me dás beijinhos
E eu fico envergonhada...

Vai levar um beijo meu
Ao meu amor que está longe!
E dá-lhe todo o meu Amor
Juntamente com meu beijo!

Quando lho entregares
Volta ainda mais depressa;
Para que me possas entregar
O beijo que ele me vai mandar!

2 comentários:

pedro disse...

ola lilokas...li este teu poema, pareces que estas a contar um pouco da minha vida, ou pelo menos uma parte da vida, do meu passado. creio que deves entender o que quero dizer com isto...sao fases dos amores... vou ler o resto dos poemas...jinhos para ti...com todo o respeito que sinto por ti, es uma pessoa maravilhosa...pedrocas

Brida disse...

loool
os meus poemas... são simples... contam histórias...
podem ser as histórias de qualquer um!