sexta-feira, junho 16, 2006

Bilhete de Identidade

E é mesmo hoje que vou renovar o meu!
Tenho estado a adiar com desculpas estupidas, primeiro não tinha foto, depois estava muito calor, depois frio, depois estava a chover...
Hoje vou mesmo.
O Bilhete de identidade vai ser mesmo diferente, mas eu continuo a ser a mesma!
Vai levar algum tempo para eu me habituar a esta nova condição!
A verdade é que não estou preparada para nada disto

E continuo congelada há espera de um microondas porque o calor do sol já não chega...
E quanto mais preciso das pessoas, mais elas me desiludem!
Se ao menos pudesse hibernar e acordar na primavera do ano que vem...

4 comentários:

Ana Afonso disse...

Ola Lilia
Que o caminho para lá seja curto!
E que não mudes nunca porque isso é que importa ... olha eu ja pensei em mudar o meu de Ana para Teresa :) (sabes que não é bem isso mas ... entendes não??)
O que eu te quero dizer é que se precisares estou aqui :)
mil beijos
ana afonso :)

jmideias disse...

Estou á espera de uma chamada tua, ainda te lembras do meu número do telemovél ???

Quanto ao BI, concordo contigo, arranjamos sempre uma desculpa, eu mudei de estado em Novembro e só tratei em Maio, porque fui obrigado.

Já sabes LIGA-ME

BEIJINHOS

Brida disse...

e já mudei renovei mesmo o BI
:)

Harmonia disse...

O que há em mim é sobretudo cansaço –
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada –
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.

A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto em alguém,
Essas coisas todas –
Essas e o que falta nelas eternamente –;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.

Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada –
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...

E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah! com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço,
Íssimo, íssimo, íssimo,
Cansaço...

Alvaro de Campos